Para todos nós
que estamos tão habituados a tudo,
ao amor, à fé e à solidariedade,
a Deus e aos outros
e que já nada nos surpreende: Quaresma!

 

 

Para todos nós
que pensamos saber tudo
e não ter mais nada a receber
porque já demos a volta
a todas as coisas: Quaresma!

 

Para todos nós
que estabelecemos o catálogo
das pessoas a amar
e das pessoas a desprezar: Quaresma!

 

Para todos nós
que fizemos a lista dos gestos a fazer,
dos ritos a executar
e das palavras a pronunciar
para se ser um cristão de bom tom: Quaresma!

 

Para todos nós
que andamos à deriva: Quaresma!

 

Cristo vem tirar a nossa existência
do desgaste e da desordem!

 

Com ele, num caminho de 40 dias,
o Evangelho ressoa como uma palavra nova,
uma nova que quebra
as rotinas dos nossos comportamentos.

 

Nele, num caminho de 40 dias,
aparece-nos o rosto de Deus
e também o rosto
que o homem é chamado a revestir.

 

Por ele, num caminho de 40 dias,
cria-se uma relação entre Deus e nós,
toda ela marcada pela aliança

 

Graças a ele, num caminho de 40 dias,
o amor de Deus revela-se
à nossa admiração.

 

Ao fim de 40 dias,
é preciso contar com isso,
tudo é renovado.
Não poderemos voltar a viver de outro modo

senão pondo em prática
o que Cristo, nosso irmão quotidiano,
nos terá ensinado
pela sua vida, pela sua morte, pelo seu amor.

 

De facto, o caminho dos 40 dias
marca o início da Ressurreição,
pois começa para nós
o nosso segundo nascimento!

 

 

 

publicado por catequesebarra às 22:21