Não é fácil, Senhor, o nosso encontro com o sofrimento…
 
Pensam alguns, Senhor, que Tu amas o sofrimento
e o envias,  como  prova, aqueles que mais estimas…
Mas eu creio, Senhor, que o que Tu amas é o sofredor
e por isso, porque éramos grandes sofredores,
nos enviaste o próprio Filho para que Ele nos aliviasse.
 
Pensam outros que Te prestam maior homenagem
inventando sofrimentos com que se martirizam e penitenciam.
Mas eu creio, Senhor, que a única homenagem que Te é grata
é o amor dos que sofrem e não o seu sofrimento.
 
Não, ó Pai, não fostes Tu que criaste o sofrimento,
inventaste as dores, multiplicastes as cruzes,
sacrificaste o Filho e nos apresentas o Calvário como ideal.
 
Mais profundamente, somos convidados a reconhecer aí
a mesma paixão de sempre.
A paixão pela Aliança entre Ti e nós,
amor fiel à procura da reconciliação,
mesmo quando o caminho é via sacra. 
 
Mais secretamente, somos convidados a descobrir aí
o amor apaixonado do Filho
carregando as nossas cruzes,
ultrapassando as nossas barreiras,
quebrando as nossas cadeias,
no sofrimento e na dor,
tanto quanto necessário,
para que, na Sua Pessoa
e na força do Seu Espírito,
regressássemos ao Teu regaço de Pai.

 

P. Carlos Paes

publicado por catequesebarra às 16:50