Mensagem para todos os catequistas do mundo do Cardeal Cláudio Hummes, prefeito da Congregação Vaticano.

 

 

A paz do Senhor esteja com todos vós! Neste primeiro ano do meu serviço ao Santo Padre, Bento XVI, na Congregação para o Clero, à qual está confiada a catequese, desejo fazer-vos chegar a minha saudação cordial e fraterna.

A Deus bom e grande no amor, rico em misericórdia, peço que vos abençoe de um modo muito especial. E faço-o na festa de S. Lucas evangelista, recordando a sua contribuição fundante para o anúncio universal de Jesus Cristo morto e ressuscitado, e de Seu Reino.

Desejo, antes de mais, comunicar-vos a minha admiração pelo vosso serviço eclesial, com frequência incansável, na educação da fé católica de muitos catecúmenos ou de já baptizados que vos são confiados.

Asseguro-vos o meu carinho como irmãos e irmãs queridos, comprometidos na boa luta pela fé, que vos solicita com frequência sacrifícios heróicos, aos quais respondeis com alegria e perseverança.

Na quotidiana fidelidade a Deus e fidelidade ao homem, continuais sendo para as vossas comunidades paroquiais uma verdadeira riqueza. Sois um dos sinais mais promissores, com o qual o Senhor não deixa de confortar-nos e de surpreender-nos.

Continuai mostrando paixão e vontade na aquisição sincera dessa fisionomia própria de educadores e testemunhas da verdade, para transmiti-la integral e fielmente ao homem do nosso tempo.

Estai decididos no fortalecer a vossa fé, «para estardes sempre prontos a responder, para vossa defesa, com doçura e respeito, a todo aquele que vos perguntar a razão da vossa esperança» (1Ped 3,15), com a oração, com a formação, com a caridade. Sede sempre alegres e diligentes para que, também através da sua obra,

«Deus seja glorificado em tudo por Jesus Cristo, a Quem seja dada a glória e o poder por todos os séculos» (1Ped 4,11).

Exorto-vos a rezar e a cultivar com confiança uma relação de amor, de dedicação, de escuta e de silêncio com o Senhor. Neste mundo com frequência sem esperança, vítima da violência e do egoísmo, que cada gesto, cada sorriso, cada palavra vossa, seja testemunho vivo de que o Senhor venceu o pecado e a morte, e de que o amor é possível.

Exorto-vos a redescobrir as raízes profundas do vosso testemunho, no Baptismo e na Confirmação. A alimentar o vosso serviço de catequese com o alimento dos fortes: a Eucaristia. A revelar o rosto de Cristo a todos os que encontrais, na gratidão e na fidelidade do vosso serviço. Que o Espírito Santo faça nova a vossa vida e faça crescer a comunhão entre todos os catequistas. «Que o mundo actual - que busca às vezes com angústia, às vezes com esperança - possa assim receber a Boa Nova, não através de evangelizadores tristes e desanimados, impacientes e ansiosos, mas através de ministros do Evangelho, cuja vida irradia o fervor de quem recebeu, antes de mais nada em si mesmo, a alegria de Cristo, e aceita consagrar a sua vida à tarefa de anunciar o Reino de Deus e de implantar a Igreja no mundo» (En 80).

Invoco sobre todos, a bênção que tanto amava S. Francisco de Assis:

«O Senhor te abençoe e te guarde,Te mostre o Seu rosto e tenha misericórdia de ti,

Volte para ti o Seu olhar e te dê a paz.»

E que a Virgem Maria, Estrela da evangelização, vos conduza e vos assista, e seja para todos sinal de segura esperança.

                                               Cidade do Vaticano, 18 de Outubro de 2007

 

publicado por catequesebarra às 12:56