"Do Concílio Vaticano II até hoje a Igreja quis por mais de uma vez retornar de modo aprofundado sobre o tema do celibato dos sacerdotes, não somente reafirmando com clareza a oportunidade desta prática, mas também aprofundando sempre mais o seu significado teológico e espiritual.
Não se pode reduzir um tema tão importante ― que tão frequentemente é fonte de debate ― a um simples problema disciplinar de legislação eclesiástica. E não se pode nem menos ceder àquela visão redutiva, fomentada por uma certa mentalidade laicista, que desejaria repensar esta prática à luz dos “tempos que mudam”. O celibato dos sacerdotes chama em causa uma questão mais ampla: a questão da natureza do amor humano com relação ao amor divino. Que é, de fato, a vocação senão o modo em que o homem responde com o seu amor ao Amor maior que é o amor de Deus?"


In Agencia Fides

publicado por catequesebarra às 14:22