Perto de Ti Jesus

pesquisar

 
417022_10150616840017462_92187362461_9455221_12809

Catequese da Infância e Adolescência - Paróquia da Sagrada Família - Praia da Barra .

Sábado, 24 / 11 / 07

Excertos do discurso do Papa aos Bispos portugueses

 

 

 

O ponto alto de uma “visita ad limina” é o encontro de todos os bispos com o Papa. No passado dia 10, Bento XVI fez um discurso aos bispos portugueses para lhes apontar caminhos a percorrer pela Igreja em Portugal. Deixo-vos, hoje, com alguns excertos desse discurso que considero mais relevantes. Todos os discursos estão disponíveis online.
“ (…) Neste momento, quero convosco dar graças a Cristo Senhor pela grande misericórdia que usou para com a sua Igreja peregrina em Portugal nos dias do Ano Santo e nos anos sucessivos permeados pelo espírito jubilar... De facto, sente-se perdurar o mesmo clima do Jubileu em numerosas iniciativas por vós tomadas nos anos imediatos: o recenseamento geral da prática dominical, o retomar a caminhada sinodal feita ou a fazer, a convocação em mais do que uma diocese da statio eucarística ou da missão geral segundo modalidades novas e antigas, a realização nacional do encontro de movimentos e novas comunidades eclesiais e do congresso da família, a vontade de servir o homem consignada pela Igreja e o Estado numa nova Concordata…

Neste longo peregrinar, a confissão mais frequente nos lábios dos cristãos foi a falta de participação na vida comunitária, propondo-se encontrar novas formas de integração na comunidade. A palavra de ordem era, e é, construir caminhos de comunhão. É preciso mudar o estilo de organização da comunidade eclesial portuguesa e a mentalidade dos seus membros para se ter uma Igreja ao ritmo do Concílio Vaticano II, na qual esteja bem estabelecida a função do clero e do laicado, tendo em conta que todos somos um, desde quando fomos baptizados e integrados na família dos filhos de Deus, e todos somos corresponsáveis pelo crescimento da Igreja.

Esta eclesiologia da comunhão na senda do Concílio, à qual a Igreja portuguesa se sente particularmente interpelada na sequência do Grande Jubileu, é, meus amados Irmãos, a rota certa a seguir, sem perder de vista eventuais escolhos tais como o horizontalismo na sua fonte, a democratização na atribuição dos ministérios sacramentais, a equiparação entre a Ordem conferida e serviços emergentes, a discussão sobre qual dos membros da comunidade é o primeiro (é inútil discutir, pois o Senhor Jesus já decidiu que é o último). Com isto não quero dizer que não se deva discutir acerca do recto ordenamento na Igreja e sobre a atribuição das responsabilidades; sempre haverá desequilíbrios, que exigem correcção. Mas tais questões não nos podem distrair da verdadeira missão da Igreja: esta não deve falar primariamente de si mesma, mas de Deus.

Os elementos essenciais do conceito cristão de «comunhão» encontram-se neste texto da primeira Carta de São João: «O que vimos e ouvimos, isso vos anunciamos, para que também vós tenhais comunhão connosco. Quanto à nossa comunhão, ela é com o Pai e com seu Filho Jesus Cristo» (1, 3). Sobressai aqui o ponto de partida da comunhão: está na união de Deus com o homem, que é Cristo em pessoa; o encontro com Cristo cria a comunhão com Ele mesmo e, n’Ele, com o Pai no Espírito Santo. Vemos assim – como escrevi na primeira Encíclica – que, «ao início do ser cristão, não há uma decisão ética ou uma grande ideia, mas o encontro com um acontecimento, com uma Pessoa [Jesus Cristo] que dá à vida um novo horizonte e, desta forma, o rumo decisivo» (Deus caritas est, 1); a evangelização da pessoa e das comunidades humanas depende, absolutamente, da existência ou não deste encontro com Jesus Cristo.

 
 
Bento XVI (10 de Outubro de 2007)
Discurso aos Bispos portugueses na "visita ad limina"

 

 

publicado por catequesebarra às 11:10
Sábado, 24 / 11 / 07

Sacramento da Confirmação

 

E agora podereis ser minhas testemunhas!...

 

 

  

Pela primeira vez, esta   Celebração do Crisma  teve realização inter-paroquial.

Assim também vamos construindo uma Igreja renovada… 

duas paróquias que vão “dando as mãos” e vão mostrando que a Igreja não tem “fronteiras”.

A celebração teve início às 11 horas e foi presidida pelo D. António Francisco Bispo de Aveiro.


Aqui, e nos registos paroquiais e diocesanos, ficam os nomes daqueles que, no dia 18 de Novembro de 2007, receberam o Sacramento da Confirmação:

 

Paróquia da Sagrada Família

 

Carlos Jorge Costa

Élson Miguel Verloop

Filipe Pereirinha

Gonçalo Pereirinha

Joana Patrícia Ferreira

João Pedro Santos

Solange Magalhães

Vera Cristina Rodrigues

 

Paróquia da Nossa Senhora da Saúde

 

Ana Brigite Nenos

Ana Cristina Gramata

Andreia Fidalgo

Emanuel Cardoso

Ricardo Jorge Silvestre
                                   Que Deus ilumine o vosso percurso!

 

Deixamos uma palavra de gratidão e estima aos catequistas

que acompanharam estes jovens.

publicado por catequesebarra às 10:09
" Bendito seja o Senhor que tanto nos ama"

mais sobre mim

Novembro 2007

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
21
22
23
25
27
28
30

links

arquivos

2015:

 J F M A M J J A S O N D

2014:

 J F M A M J J A S O N D

2013:

 J F M A M J J A S O N D

2012:

 J F M A M J J A S O N D

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

2008:

 J F M A M J J A S O N D

2007:

 J F M A M J J A S O N D

2006:

 J F M A M J J A S O N D

pesquisar

 

subscrever feeds