Perto de Ti Jesus

pesquisar

 
417022_10150616840017462_92187362461_9455221_12809

Catequese da Infância e Adolescência - Paróquia da Sagrada Família - Praia da Barra .

Sexta-feira, 01 / 12 / 06

Carta de um filho a todos os pais do mundo


 

Não me dês tudo o que te peço.

 

Às vezes peço apenas para saber qual é o máximo

que posso obter. 

 

Não me grites. Respeito-te menos quando fazes isso; e ensinas-me a gritar também. E eu não quero fazê-lo. 

 

Não me dês sempre ordens. Se em vez de dares ordens, às vezes me pedisses as coisas com um sorriso, eu faria tudo muito mais depressa e com gosto. 

 

Cumpre as promessas, boas ou más. Se me prometeres um prémio, dá-o; mas faz o mesmo se for um castigo. 

 

Não me compares com ninguém, especialmente com o meu irmão ou com a minha irmã. Se me fizeres sentir melhor que os outros, alguém irá sofrer; e se me fizeres sentir pior que os outros, serei eu a sofrer. 

 

Não mudes tão frequentemente de opinião acerca daquilo que devo fazer. Decide, e depois mantém essa decisão. 

 

Deixa-me desembaraçar sozinho. Se fizeres tudo por mim, eu nunca poderei aprender. 

 

Não digas mentiras à minha frente, nem me peças que as diga por ti, mesmo que seja para te livrar de um sarilho. Fazes com que me sinta mal e perca a fé naquilo que me dizes. 

 

Quando eu fizer alguma coisa mal, não me exijas que te diga a razão por que o fiz. Às vezes nem eu mesmo sei. 

 

Quando estiveres errado em algo, admite-o e será melhor a opinião que eu terei de ti. Assim ensinar-me-ás a admitir os meus erros também. 

 

Trata-me com a mesma amabilidade e cordialidade com que tratas os teus amigos. Lá por sermos família não quer dizer que não possamos ser também amigos. 

 

Não me digas para fazer uma coisa que tu não fazes.

Eu aprenderei aquilo que tu fizeres, ainda que não me digas para fazer o mesmo; mas nunca farei o que tu me aconselhas e não fazes. 

 

Quando te contar um problema meu, não me digas «não tenho tempo para tolices», ou «isso não tem importância». Tenta compreender-me e ajudar-me. 

 

E gosta de mim. E diz-me que gostas de mim. Agrada-me ouvir-te dizer isso, mesmo que tu não aches necessário dizê-lo.

 

                                                                                                (autor ignorado)

publicado por catequesebarra às 21:51
Sexta-feira, 01 / 12 / 06

Domingos e festas de Dezembro e Janeiro

 


 

 

 

Com S. Lucas na escola do Evangelho

 

Com o I Domingo do Advento, a 3 de Dezembro,abre o novo ano litúrgico 2006-2007 (Ano C), durante o qual S. Lucas vai ser o Evangelista mais lido nos Domingos e Festas. Continuarei a comentar os textos do Evangelho, com algumas referências às outras Leituras bíblicas do mesmo dia.

 

 

 

O Evangelho de Lucas lido no Natal

 

»» São Lucas é quem transmite o anúncio mais explícito do NASCIMENTO DO SENHOR: «Nasceu-vos hoje, na cidade de David, um Salvador, que é Cristo Senhor.» E os primeiros destinatários deste anúncio, feito pelos anjos, são «uns pastores que viviam nos campos e guardavam de noite os rebanhos».

 

Este “hoje” bem pode ser considerado o primeiro dia do resto da História da Salvação, pois nele se cumprem todas as promessas e profecias: a de Gabriel a Maria, pois ela «teve o seu Filho primogénito. Envolveu-o em panos e deitou-O numa manjedoura»; a de Miqueias, ouvida ontem, pois isto aconteceu em Belém, a cidade de David, aonde José e Maria tinham subido, da Galileia, para se recensearem; e a de Isaías, proclamada em cada noite de Natal: «um menino nasceu para nós, um filho nos foi dado… e será chamado Príncipe da paz» (1ª Leitura: Is 9,1-6), pois os anjos cantam na campina, quando do nascimento de Jesus: «Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por Ele amados» (Evangelho: Lc 2,1-14).

 

Se foi mesmo a 25 de Dezembro (pouco provável!), ou mais na Primavera, pouco interessa. Se fosse importante, Lucas tê-lo-ia dito. Mas há outras duas coisas importantes, no texto de Lucas: o lugar dado a Maria (já sublinhado na Imaculada Conceição e no IV Domingo), mulher simples de uma cidade insignificante, e aos pastores. Ao escrever para os gentios, Lucas não quis que eles se sentissem excluídos da salvação trazida por Jesus; por isso privilegiou os pastores, tidos por desprezíveis e malditos pelas elites sociais e religiosas da época por viverem à margem da sociedade e não frequentarem a sinagoga para estudar a Lei ou celebrar o Sábado. Um estímulo ou uma lição para nós, hoje: se desesperamos da salvação, ou se presumimos ter a salvação já garantida.

 

Permita-me esta sugestão:
após reflectir antecipadamente os textos de hoje, faça em sua casa (ou na varanda ou alpendre com vista para a rua) um PRESÉPIO com os elementos e personagens neles referidos. E não dê ao pai-natal o lugar que lhe é dado pelo comércio. Natal é o Nascimento de Jesus, Salvador de todos os povos. Sem Ele no centro das celebrações, o dia pode não passar de um Carnaval antecipado e de mau gosto.

Frei Lopes Morgado

 

publicado por catequesebarra às 21:09
" Bendito seja o Senhor que tanto nos ama"

mais sobre mim

Dezembro 2006

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
15
16
17
18
19
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

links

arquivos

2015:

 J F M A M J J A S O N D

2014:

 J F M A M J J A S O N D

2013:

 J F M A M J J A S O N D

2012:

 J F M A M J J A S O N D

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

2008:

 J F M A M J J A S O N D

2007:

 J F M A M J J A S O N D

2006:

 J F M A M J J A S O N D

pesquisar

 

subscrever feeds